Piracuruca

Piracuruca

piracuruca

Centro

Pedra furada – Sete Cidades

    O município de Piracuruca encontra-se na Região Nordeste do Brasil. Sua história, sua nascença ainda é pouco pesquisada, repleta de mitos e lendas. Não se sabe a data da criação da Freguesia de Nossa Senhora do Monte do Carmo de Piracuruca. Mas, de acordo com o historiador padre Cláudio Melo em seu livro “Fé e Civilização”, provavelmente aconteceu em 1722 ou em 1723, em razão do desmembramento da Freguesia do Surubim (Campo Maior). É provável que o primeiro sacerdote católico tenha sido o padre João da Costa Pereira, sesmeiro e desbravador do século XVII. Sabe-se que, em 1732, o padre José Lopes Pereira iniciou suas atividades, interrompendo-as em 1742, quando foi transferido para a recém-criada Freguesia do Desterro do Piauí. 

    Segundo o padre Cláudio Melo, o vigário José Lopes Pereira ainda retornou em dois períodos: de 1763 a 1767; e o último, de 1772 a 1780. Durante seu exercício, foi auxiliado por frades carmelitas e outros missionários.

   A ocupação da área de sua jurisdição (Brejo, Maranhão; Parnaíba; Buriti dos Lopes; Bom Princípio do Piauí; Batalha; Pedro II; Domingos Mourão; Milton Brandão;Lagoa de São Francisco; Piracuruca; Cocal; Cocal dos Alves; São José do Divino; Brasileira; São João da Fronteira) está relacionada com o fim do período holandês no Recife, em 1654, decorrendo na migração dos tabajaras, liderados pela família Camarão, para a serra da Ibiapaba; o povoamento de cristãos-novos,judeus convertidos, e demais degredados (ciganos, inclusive) por determinação da Coroa portuguesa, oriundos de Portugal e dos Açores; a construção das estradas de ligação entre o Maranhão e o Ceará; a revolta de Beckman, irmãos cristãos-novos, donos de engenho no Maranhão; o aldeamento dos jesuítas em Viçosa do Ceará, na serra da Ibiapaba; a atuação de bandeirantes paulistas (capitão-mor, mestre do campo da conquista do Piauí, Francisco Dias de Siqueira, conhecido como “O Surdo” ou “O Apuçá”, auxiliado por João Pires de Brito; capitão-mor João Amaro Maciel Parente), baianos (capitão-mor Bernardo de Carvalho e Aguiar, Coronel Pedro Barbosa Leal); e maranhenses (Capitão-mor do Maranhão Vital Maciel Parente) e pernambucanos (capitão-mor Antônio da Cunha Souto Maior, mestre da conquista do Piauí e do Maranhão); a ação evangelizadora de missionários de várias ordens religiosas: mercedários, carmelitas e jesuítas, por exemplo.

    A data do início da construção da Igreja de Nossa Senhora do Monte do Carmo é ignorada. A história corrente na região diz que ela está associada aos irmãos Manuel Dantas Correia e José Dantas Correia. Porém, desconhece-se se os dois tinham alguma ligação com os carmelitas e mercedários que atuavam no norte do Piauí. Uma de suas primeiras imagens, Nossa Senhora do Monte Serrat, fora trazida da Ermida de Nossa Senhora do Monte Serrat, construída em 1711 pelo Coronel Pedro Barbosa Leal na Vila Velha da Parnaíba, em razão do aumento dos ataques dos tremembés à região, no começo do segundo decênio do século XVIII.

A freguesia de Nossa Senhora do Monte do Carmo tornou-se vila de Nossa Senhora do Carmo da Piracuruca através de Decreto Regencial em 6 de julho de 1832, e foi emancipada politicamente, elevando-se à categoria de cidade pelo Decreto Estadual nº 1, de 28 de dezembro de 1889.

   Piracuruca é um nome tupi que significa “peixe que ronca”. A cidade foi fundada a partir de antiguíssima fazenda de gado, situada às margens do rio do mesmo nome, na rota da passagem de colonizadores que, do Ceará, adentravam pela terra dos índios tocarijus rumo ao Maranhão.

Piracuruca é um município do estado do Piauí.

Localiza-se a uma latitude 03º 55′ 41″ sul e a uma longitude 41º 42′ 33″ oeste.

Está a uma altitude de 60 metros.

Sua área territorial é de 2.369,5 km2 (IBGE/2015)


POPULAÇÃO
População estimada [2020]
28.874 pessoas  
População no último censo [2010]
27.553 pessoas  
Densidade demográfica [2010]
11,57 hab/km²  

Em 2018, o salário médio mensal era de 1.8 salários mínimos. A proporção de pessoas ocupadas em relação à população total era de 7.8%. Na comparação com os outros municípios do estado, ocupava as posições 83 de 224 e 53 de 224, respectivamente. Já na comparação com cidades do país todo, ficava na posição 3263 de 5570 e 4168 de 5570, respectivamente. Considerando domicílios com rendimentos mensais de até meio salário mínimo por pessoa, tinha 53.1% da população nessas condições, o que o colocava na posição 147 de 224 dentre as cidades do estado e na posição 767 de 5570 dentre as cidades do Brasil.

Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2018]
1,8 salários mínimos  
 
 Pessoal ocupado [2018]
2.235 pessoas  
 
 População ocupada [2018]
7,8 %  
 
 Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]
53,1 %  
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]
94,8 %  
 
 IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental (Rede pública) [2017]
6,2  
 
 IDEB – Anos finais do ensino fundamental (Rede pública) [2017]
4,8  
 
 Matrículas no ensino fundamental [2018]
4.026 matrículas  
 
 Matrículas no ensino médio [2018]
1.352 matrículas  
 
 Docentes no ensino fundamental [2018]
187 docentes  
 
 Docentes no ensino médio [2018]
105 docentes  
 
 Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2018]
23 escolas  
 
 Número de estabelecimentos de ensino médio [2018]
escolas  

 

PIB per capita [2018]
9.793,87 R$  
 
 Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]
89 %  
 
 Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]
0,596  
 
 Total de receitas realizadas [2017]
52.130,77 R$ (×1000)  
 
 Total de despesas empenhadas [2017]
48.756,06 R$ (×1000)

 

A taxa de mortalidade infantil média na cidade é de 15.42 para 1.000 nascidos vivos. As internações devido a diarreias são de 0.9 para cada 1.000 habitantes. Comparado com todos os municípios do estado, fica nas posições 97 de 224 e 179 de 224, respectivamente. Quando comparado a cidades do Brasil todo, essas posições são de 1836 de 5570 e 2577 de 5570, respectivamente.

Mortalidade Infantil [2017]
15,42 óbitos por mil nascidos vivos  
 
 Internações por diarreia [2016]
0,9 internações por mil habitantes  
 
 Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]
21 estabelecimentos  

 

 

Apresenta 9.6% de domicílios com esgotamento sanitário adequado, 61.8% de domicílios urbanos em vias públicas com arborização e 0.3% de domicílios urbanos em vias públicas com urbanização adequada (presença de bueiro, calçada, pavimentação e meio-fio). Quando comparado com os outros municípios do estado, fica na posição 111 de 224, 145 de 224 e 65 de 224, respectivamente. Já quando comparado a outras cidades do Brasil, sua posição é 4394 de 5570, 3592 de 5570 e 4686 de 5570, respectivamente.

 

Área da unidade territorial [2020]
2.368,935 km²  
 
 Esgotamento sanitário adequado [2010]
9,6 %  
 
 Arborização de vias públicas [2010]
61,8 %  
 
 Urbanização de vias públicas [2010]
0,3 %  
 
 Bioma [2019]
Caatinga;Cerrado  
 
 Sistema Costeiro-Marinho [2019]
Não pertence  
 
 Hierarquia urbana [2018] 
 
Centro de Zona B (4B)  
 
 Região de Influência [2018] 
 
Arranjo Populacional de Teresina/PI -…  
 
 
 Região intermediária [2020]
Parnaíba  
 
 Região imediata [2020]
Piripiri  
 
 Mesorregião [2020]
Norte Piauiense  
 
 Microrregião [2020]
Litoral Piauiense  

Nenhum registo encontrado

Lamento, mas não foram encontrados registros que correspondam à sua pesquisa. Ajuste seus termos de busca e tente novamente.

O Google Map não foi carregado

Lamento, mas foi possível carregar a API do Google Maps.

wpChatIcon